sexta-feira, 19 de outubro de 2007

[ Anarquismo ] Um vovô do anarquismo.



"Todas as coisas do mundo são de todos os homens, porque todos os homens delas necessitam, porque todos os homens colaboraram, na medida de suas forças, para produzi-las; porque não é possível avaliar a parte de cada um na produção da riqueza do mundo... " Piotr Kropotkin, A Conquista do Pão.

O vovô na foto é Piotr Kropotkin, homem do século XIX (1842), nascido na russa e de histórica ligação com os pensamentos e as práticas anarquistas. Em sua vida, além da terra natal, andou pela Sibéria, Inglaterra, Belgica, Suíça e outros cantos. Depois de seus quases trinta anos fora da Rússia, resolveu voltar com o processo da Revolução Russa (1917). Vendo todos os "descaminhos" dos bolcheviques, procurou intervir para alterar a realidade de opressão dos Bolcheviques, mas não obteve resultado. No começo da década de 1920 faleceu e homenagens ao vovô Kropotkin foram as últimas manifestações públicas do anarquismo nas terras da Ditadura do "Proletariado".

A sua maneira: Pensou, escreveu e militou.

Felizmente, alguns livros estão sendo publicados no território brasileiro. Assim, podemos compreender sua perspectiva do “anarco-comunismo”, “anarquismo comunista” e suas abordagens dos seus momentos vividos e analisados. (a frase no começo do post é uma boa síntese do pensamento).

Tornou-se senso comum, especialmente na “esquerda tradicional” o culto aos personagens emblemáticos da história das lutas sociais, então não vamos cair nos mesmo equívocos. Vamos ler as publicações dos vovôs do anarquismo, e sempre avaliar o contexto e o tempo dos autores e ao pensarmos a inserção dessas idéias e práticas nos dias de hoje com um olhar crítico e transformador da realidade.

PALAVRAS DE UM REVOLTADO
Http://www.editoraimaginario.com.br/untitled.asp?registro=16
ANARQUIA, A
Sua Filosofia, Seu Ideal
http://www.editoraimaginario.com.br/untitled.asp?registro=70
ESTADO E SEU PAPEL HISTÓRICO, O
http://www.editoraimaginario.com.br/untitled.asp?offset=28&registro=95

Um comentário:

neonada disse...

Bom, eu não poderia deixar de expressar aqui meu humilde parabéns pelo teu blog antes de comentar, penso que além da importância em analisar criticamente as obras clássicas destes autores "emblemáticos" é ir além de suas observações acerca das lutas de classes, sabemos que o ideal anarkista passou por várias transformações no século XX, e sabemos também que não temos um base forte de sustentação no Brasil que suporte as pressões conservadoras de direita. A questão é, além de analisar as obras, cabe-nos a responsabilidade, e que responsabilidade, de transformar o anarquismo com a coerência contextual, fazendo assim a crítica necessária para atingirmos um objetivo que até hoje não passou de teorias, penso que só assim a práxis será atingida. Mas para isso, é preciso muito esforço, à começar pela nossa cidade, na educação por exemplo, como um futuro e consciente professor terás a chance de mostrar que podes sim combater a faltfa de senso-crítico que perturba nossos jovens educandos e aliena nossos "velhos" educadores.

No mais, sucesso em tuas investidas meu irmão!!!