quinta-feira, 3 de abril de 2008

[ Livros ] o que fazer ?

São duas horas da manhã, poderia dormir, ler ou ficar olhando para os livros na minha frente... Mas estou na frente da tela do computador, olho para o teclado ao som de Billy Bragg. Entre um intervalo e outro leio rapidamente algum blog.
Procuro organizar meus pensamentos para escrever um texto, mas nada tá num fluxo adequado.

Ok, já sei vou organizar os livros para ler.

Nos últimos dias comprei e ganhei alguns livros, entre os títulos estão:

“Confieso que he vívivo” Pablo Neruda.

É a autobiografia do poeta chileno Neruda. O texto está em espanhol, será de valiosa leitura, porque vou treinar meu espanhol de quinta categoria e ler o olhar de Neruda em torno da sua vida, que deverá alimentar inspirações.

Los versos del capitán” Pablo Neruda.

A razão da presença de Dom Pablito se faz porque a querida e amada Bázinha passou por terras chilenas e de lá trouxe esses dois livros. Nesse ltítulo a leitura será prazerosa e voltarei com freqüência as páginas de "los versos..." . Poesias e mais poesias de amor para Matilde.

Camus e Sartre” Ronald Aronson

“O polêmico fim de uma amizade no pós-guerra”. Fofocas para os-as pretensos - as intelectuais. Numa livraria de Floripa a capa do livro chamou atenção e a história desses dois pensadores franceses há tempos alimenta minha curiosidade, especialmente a figura de Albert Camus e suas posições políticas que desconheço, além de que mantinha idéias anti-autoritárias. Enquanto as idéias de Sartre ganharam mais notoriedade nos cantos tupiniquins.
Agora, vou seguir os ensinamentos brincalhões da Bá: “Após ler Lê Monde Diplomatique divirta-se lendo as fofocas entre intelectuais”.

O estrangeiro” Albert Camus

Após escutar e escutar e voltar a escutar a música do The Cure, enchi o peito de coragem e comprei o livro de Camus.

A. Camus está entre os escritores que tenho medo ou receio de ler, sinto a sensação de : “Não estou pronto para tal escritor.” O mesmo sentimento se faz presente com os livros de Dostoievski e Kafka, o primeiro tenho cerca de quatros livros e nenhum lido, já Kafka li “A metamorfose”, achei interessante o amanhecer de G. Samsa. E resolvi enfrentar as páginas de “Carta ao Pai” e desisti, os sentimentos que surgiram foram devastadores e deixaram a nula relação com meu pai cheio de questionamentos. Agora, vou ler Camus.

O amor é um cão dos diabos” Charles Bukowski.

O velhote safado é o número um entre os roqueiros marginais, as estrelas desajustadas do cinema, os carinhas em estão na condição de “feio” como um estilo de vida e também entre as pessoas legais. Eu li os livros de prosa, as sensações não foram de explosões e nem me levou a bebedeiras e menos ainda a sair com mulheres a torto e direito. Agora, quando li a biografia (um presente das amigas Débi e Josi) desse velho beberão e encontrei suas poesias. Caraca fiquei loucão para ler suas palavras em forma de poesia.

História para ler sem pressa” Escolhida e traduzida do árabe por Mamede Mustafá Jarouche.

A capa com suas cores e seus desenhos chamaram atenção. O conteúdo são contos, fábulas árabes de séculos X ao XIII. Estou animado em conhecer mais da cultura dos povos árabes, conheço pouco e se faz presente em nosso cotidiano, seja por meio da televisão, jornais e revistas e também nos costumes que influenciaram a História do mundo “de cá”.

Após ficar encanto com o livro, depositei na prateleira e fixei o pensamento para deixar o consumo para outro dia. Felizmente, a Bá me pegou de surpresa enquanto descansávamos, ganhei esse livro dela.

Vou ler e escrever dos livros no blog ?

Gostaria e vou realizar.


Fonte das imagens:

Foto 1 - Pablo Neruda - http://www.janantoon.be/images/neruda.jpg
Foto 2 - Albert Camus - http://img209.imageshack.us/img209/6677/camusua6.jpg

Nenhum comentário: