terça-feira, 3 de junho de 2008

[ Anarquismo] Uma nota da "anarquia".

Um desempregado sem bicicleta e com pouca grana até para sair de casa e pegar um ônibus é complicado e acaba se ocupando com uma simples notinha no Jornal Anoticia.

Leia Abaixo a nota do jornalista Jefferson Savvedra

“Anarquia

O que será que leva jovens - provavelmente universitários - se darem ao trabalho de ir incomodar os vestibulandos da Udesc, como ocorreu na tarde de domingo? A turminha se deu ao trabalho de xingar os vestibulandos que se atrasaram, além da bagunça antes das provas.”

Em função da nota escrevi o e-mail abaixo:

“Olá Jefferson Saavreda.

Não é de hoje que acompanho sua coluna no Jornal Anotícia, as notas sobre a política local e nacional são válidas para interpretar o que se passa nas diferentes esferas do poder do Estado. A validade torna-se maior quando lembro de que há poucos anos ainda persistiam no Jornal Anotícia o olhar e os interesses de pessoas nefastas para a sociedade joinvilense, como o “jornalista político” Toninho Neves.

No jornal de hoje li a pequena nota sobre os problemas causados por supostos-as estudantes universitários-as no vestibular da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Concordo com sua abordagem do tema e acrescento que é lamentável essa postura dos-as estudantes e que os-as estudantes poderia buscar uma integração de todos-as que estão passando por esse processo que desperta nervosismos e inseguranças. Talvez poderiam aprender com o Centro Acadêmico Livre de Letras Alcides Buss e Centro Acadêmico Livre de História Eunaldo Verdi, ambos da UNIVILLE, que nesse ano elaboram uma recepção em conjunto e buscoram refletir de maneira criativa sobre os problemas da vida nos bancos das universidade.

A razão da minha mensagem está vinculada ao título da nota: “Anarquia”, sinceramente tenho o pensamento de que a idéia de sua coluna é agir longe do senso comum. Por isso aplicação da palavra “anarquia” como sinônimo de “bagunça” e “caos” volta-se a idéia de senso comum em torno da palavra anarquia. Mesmo que diversos dicionários da língua portuguesa tragam esse sinônimo. Acredito que o senhor como jornalista poderia encontrar outro termo para o título da sua nota.

Afinal, anarquia também é uma teoria e prática social radical encontrada em diversos cantos do mundo, sendo aplicada como uma metodologia e projeto de sociedade futura, em que os-as gestores-as sejam os-as próprios seres humanos e não o Estado e as Empresas Privadas.

Diversos opositores, tanto do campo político da “esquerda” como da “direita” buscam destinar o sonho de uma sociedade ácrata aos museus ou simplesmente as estantes das livrarias e das bibliotecas. Mas a história do tempo presente mostra o contrário, quando em Estados como o Rio de Janeiro e Rio Grande de Sul as ações do anarquismo estão voltadas as lutas sociais. Em outros países também ganham forças.

Um outro exemplo e local é a formação do Grupo de Estudos das Idéias e Práticas Anarquistas – GEIPA – na cidade de Joinville, com um pequeno grupo de estudantes e trabalhadores-as começaram o debate em torno do ideal da anarquia.

Continuarei lendo sua coluna e esperando que no futuro pequenos “equívocos” não voltem a acontecer.

Obrigado pela atenção.

Maikon K.”

O resumo de toda história é que mesmo depois de tantos artigos sobre anarquia com os primeiros parágrafos iniciado com a discussão de que a anarquia não caos ou bagunça, é um conceito e prática social de transformação, ainda encontramos a relação da anarquia com bagunça. Felizmente, ao contrário da prática vigente, o jornalista Jefferson Saavedra se demonstrou aberto para ler um e-mail e até pensar sobre o tema, ao menos fiquei com essa impresão.


Fonte da nota: http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a1924972.xml&template=4191.dwt&edition=9984&section=941

4 comentários:

neander disse...

A beleza do blog é a possibilidade de comentar o texto.

Ele pode ter se mostrado aberto a discussão, mas eu não gostei muito da maneira que ele se reportou ao seu e-mail na coluna dele. Não sei se já fui ler mal intencionado ou coisa parecida, mas me pareceu ter um toque de ironia e deboche na escrita, principalmente na colocação de alguns conceitos e temos entre aspas.

neander disse...

A beleza do blog é a possibilidade de comentar o texto.

Ele pode ter se mostrado aberto a discussão, mas eu não gostei muito da maneira que ele se reportou ao seu e-mail na coluna dele. Não sei se já fui ler mal intencionado ou coisa parecida, mas me pareceu ter um toque de ironia e deboche na escrita, principalmente na colocação de alguns conceitos e temos entre aspas.

neander disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
neander disse...
Este comentário foi removido pelo autor.