quarta-feira, 4 de junho de 2008

[ Esperança] A esperança se encaixa....

No meio da nota do jornalista (veja as postagem anteriores) o amigo Marcelinho escreveu a mensagem abaixo.

"É uma pena que a palavra Anarquia ainda seja levada em conta apenas pela etimologia, isso é que soa irônico!, assim como a etimologia é a parte que estuda a origem e a história das palavras, então nestes anos todos que se passaram, não foram o bastante para agregar as lutas relativas à esta, o anarco-sindicalismo na Patagonia na década de 1920 e na Espanha na década de 1930 e outros, como se o conceito fosse estático/inerte no tempo, não agregou valores desde a invenção na Grécia (pelo menos é o que os dicionários dizem - "falta de governo ou de chef; confusão; desordem...") para mim está claro que o interesse do dicionário não é conscientizar. Mas o que me deixa mais aborrecido é que ao contrário do dicionário, o anarquismo numa perspectiva de movimento social, é uma corrente em que crê apenas no ser humano como autônomo, e capaz de buscar na prática sua emancipação nas relações sociais e políticas (apartidárias)

Esse momento é de luz para a esperança libertária em joinvas, estamos entrando em uma nova fase, como nunca houve, outras práticas e discussões estão surgindo neste novo cenário, e não estamos falando de política partidária, estamos falando de posturas políticos-sociais que interfiram direta ou inderetamente nas questões que nos suprimem como seres de transformação. O Anarquismo, portanto, é acreditar que acada indivíduo, pode sim ter sua importância dentro de sua comunidade, e que ele possa acreditar que as coisas dependem mais dele para modificar a atual situação de exploração do que ele pensa.

Através de uma educação emacipadora pautada nas questões humanistas, numa metodologia multi-transdisciplinar, poderemos fazer muito para nossa comunidade e nossa cidade. Talvez poderíamos chamar de trangressão essa prática, mas não da forma em que comentam o anarquismo como prática no senso comum, de "desordem e bagunça", e sim numa forma de não cumprir a ordem capitalista e neoliberal, que consiste em explorar o indivíduo e gastar toda sua energia para que se cale perante o poder. A intensão é resgatar o auto-estima dos indivíduos, para que se levantem com autonomia para responder com segurança que não estão mais conivente com a exploração e a acumulação.

É isso...

Saudações libertárias ao amigo e companheiro Mk."

Agora vem a pergunta: A esperança se encaixa em qual parte do nome completo de Marcelinho?

Infelizmente não posso determinar se entra em entre o nome ou sobrenome de Marcelinho, porque esperança está nas suas ações cotidianas e prevalece o amor aos sere humanos.

Um comentário:

Ciber Social Metranka disse...

Pode crer

A esperança nesse caso pode ter vários nomes e sobre nomes, isso é a pessoa quem concebe, vamos lutar para que todos possamos levar não só esperança no sobrenome, mas também amor e humanismo.