quarta-feira, 3 de setembro de 2008

[ "Anti" - Campanha Eleitoral ] Carlito Mers, um "ex-trabalhador"

A página virtual do jornal A notícia publicou uma entrevista com Carlito Mers, candidato do PT a prefeito de Joinville.

Resolvi selecionar dois trechos que o tema é transporte coletivo:

AN - Como o senhor avalia a relação das empresas de ônibus com a Prefeitura de Joinville?

Carlito - Olha, as empresas de ônibus de Joinville têm uma concessão que vai até 2014, se não me engano. Elas cumprem, dentro daquilo que a Prefeitura exige, aquilo que tem de ser feito. A discussão é se a Prefeitura atual exige número de linhas e horários suficiente para atender à população e a transparência da planilha. Isso é o que vai ser feito a partir do ano que vem. Nós vamos ter transparência. Sei que a tarifa de ônibus é muito elevada, não só em Joinville, mas em outras cidades. Depende isso, inclusive, de políticas estaduais e federais, principalmente na desoneração do óleo diesel e outros produtos. E nesse sentido é que nós vamos fazer com que a coisa funcione.

AN - Joinville não dá desconto na tarifa de ônibus para estudantes. O senhor pretende negociar a concessão desse benefício?

Carlito - Com certeza. Isso terá de ser feito. Não tem almoço grátis, uma frase famosíssima. Quem paga essa conta geralmente é a população. Você só pode fazer esse tipo de coisa através de algum tipo de isenção ou subsídio. Tem que sentar com toda transparência, tendo clareza da planilha, a possibilidade de o governo estadual reduzir o ICMS do óleo diesel é importante, o governo federal até o final do ano deve ter uma política também de desoneração. E a partir daí, com transparência, dizer "Olha, cada vez que você isenta alguém, alguém paga tarifa". As empresas vão continuar tendo o lucro para poder sobreviver. Tem de ser feito sem hipocrisia, com muita transparência.”

Sinceramente, faço um breve comentário:

O candidato à prefeitura deveria ficar mais atento na história da luta pelo transporte coletivo na cidade de Joinville, principalmente, por dizer que “representa” os trabalhadores e os oprimidos da cidade, afinal as discussões, as bandeiras de luta estão distantes da maneira que é conduzida à relação das empresas privadas do transporte coletivo e a Prefeitura Municipal de Joinville.

A lógica empresarial no transporte coletivo é uma das principais fontes das críticas das diversas entidades, movimentos sociais e moradores-as da cidade. O “senhor” Carlito Mers está com um discurso muito semelhante de um empresário, ou seja, um discurso distante de um trabalhador. Outro detalhe importante é que o candidato petista em nenhum momento expressou a vontade de abrir um canal de comunicação entre Prefeitura e as entidades e os movimentos sociais que há anos lutam com suas bandeiras voltadas ao transporte coletivo.

Em certo aspecto fico feliz em dizer “Tebaldi: nunca mais!!!”, porém me assusto ao perceber que os rumos da Prefeitura Municipal de Joinville serão pautados em conservadorismo e visão empresarial, independente da figura que vai “administrar” a cidade.

____________________________________________________________________

Na foto estãos os felizes Carlito Mers (esquerda) e Udo Döhler ( direita - Presidente da ACIJ )

Um comentário:

roseni pereira souza disse...

olá carlito estou asistindo o debate vc estar se saido muito bem
o darci vem disser que a saude esta bem so se eé para ele que nao pega fila no postos quem precisa de um medico mesmo sendo clinico geral esta bem dificil nao acredito nele nao quero que me der uma oportunidade pos sou funcionaria publica