quinta-feira, 18 de setembro de 2008

[ "Anti" - Campanha Eleitoral ] Pedalar e caminhar igual morrer.

As últimas duas postagens foram referentes ao atropelamento de dois ciclistas, um levando a morte e ao outro com ferimentos, o que nos deveria deixar em alertar sobre o pedalar e caminhar nas ruas da cidade.

O colunista Jefferson Saavedra do Jornal A notícia trouxe números referentes às mortes no trânsito de Joinville, reproduzo a nota abaixo:

Não dá para dizer que a violência no trânsito aumentou em Joinville porque as estatísticas ainda não estão fechadas. Seja como for, é grande o número de mortes. Em levantamento incompleto, morreram 47 pessoas em acidentes até julho. São 17 motociclistas, seis ciclistas, onze pedestres e oito ocupantes de carros (não foram identificados o tipo de veículos em cinco mortes). Está mais ou menos na média de 2007. Ou seja, uma carnificina.

O número de mortes por conta de acidentes envolvendo ciclistas e pessoas a pé está na marca das 17 pessoas. Isso porque o planejamento de mobilidade urbana visa considerar os transportes não motorizados como prioridade. É mesmo ¿

Os dois pontos básicos de crítica em relação ao planejamento de mobilidade urbana do IPPUJ é não realizar as obras de acordo com o discurso e ainda não abrir canais efetivos entre as comunidades e seus técnicos. O que traz grandes problemas para os - as usuários - as dos seus projetos, já que os-as usuários-as das ruas das cidades tem conhecimentos dos problemas que enfrentam e que a cidade não é uma simples composição de pessoas, técnico e administradores públicos, precisa acontecer uma participação democrática da população desde o começo do projeto.

Um comentário:

Jordi Castan disse...

De fato é um escandalo, o que esta acontecendo com o transito em Joinville.
Não podemos esquecer que a gestão do transito é municipal, não tem por tanto a quem culpar fora da prefeitura.( Conurb, Guarda Municipal, IPPUJ) aumentou a velocidade dos onibus, tambem aumentaram as mortes.
http://comentariosdejoinville.blogspot.com/