quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Deu na coluna do Saavedra.

O colunista Jefferson Saavedra escreveu no jornal A notícia de hoje:



Se a rotação da Terra seguir seu eixo normal, tudo indica que o prefeito Carlito Merss não vai conceder o aumento na passagem de ônibus. O reajuste é uma medida sabidamente impopular e amarga. Obviamente ,a população é contra, como o é em relação a qualquer outro reajuste. Ao abrir até blog para debater o tema, expor as planilhas, ouvir várias entidades, é óbvio que Carlito, em nome da “transparência”, vai encontrar muito mais opiniões contra o aumento do que a favor. Uma vez aberta a consulta popular, por mais informal que seja, Carlito sabe muito bem o que vai ouvir. E uma vez ouvido meio mundo, dificilmente o prefeito tomará uma posição contrária à dos interlocutores.Fonte clique aqui.



O colunista de maneira sutil está pontuando a defesa da lógica mercadológica do transporte coletivo, sempre considerando às mobilizações sociais com descrédito ou como afirmou um companheiro da Frente de Luta pelo Transporte Público, o tal jornalista é cético. Nas posições de Saavedra vejo uma mistura de ceticismo e fé demasiada nas vias institucionais e sem pingo de olhar com seriedade e respeito aos movimentos sociais. Assim, nossas ações e posições receberão os mesmos tratamentos já dados por outras figurinhas da “mídia” local.

7 comentários:

Emanuelle disse...

Saavedra tomando partido como sempre.

Olha o blog do dacs pra incluir na tua lista aí
http://blogdodacs.blogspot.com/

Beijo Mk

Séneca disse...

Não concordo.
Acho que a leitura do texto do Jefferson é outra muito diferente...
A de que NÃO vai ser concedido o aumento solicitado.
O papel do jornalista é o de ser cetico e imparcial, o que alias em Joinville esta reservado a muito poucos profissionais

Maikon K disse...

Pessoas importantes estão visitando o blogue, mto bom.

imparcialidade e objetividade há tempos estão ausentes dos meios do jornalismo, história e afins. o tal "mito" da imparcialidade foi derrubado, ainda mais pensar em imparcialidade naspáginas de um colunista onde ocorre a visão pessoal de um profissional na área de comunicação.

quando escrevo sobre a sutileza da defesa da visão de mercado no campo do transporte coletivo e o descrédito aos movimentos sociais é baseado em leituras diárias do colunista em questão.
Maikon k

Emanuelle disse...

O Saavedra deixou claro que acredita que o aumento não vai ser concedido, mas isso não o redime de tomar partido ou não. Aliás, gostaria de conhecer um jornalismo, qualquer que fosse, isento e imparcial.
No caso do colunista, a tendência em defender as indústrias de transporte está evidente.
Reduziu uma luta importante a sonhos infantis e sequer argumentou o porquê de tal afirmação.
Pra mim tá mais pra jornalismo opnativo que jornalismo imparcial.
abraços

bruno b disse...

não dá pra ser imparcial numa história em movimento, é clichê, é simples, mas não existe ninguém com a capacidade superior de vivenciar os momentos históricos em cima do muro, ou melhor existe, mas estes sabem paara quem servem, apesar de ocuparem uma posição confortável - o muro, estão a fazer força para o lado contrário dos que lutam e remam contra a maré, o blgueiro tem uma grande livro "vc não pode ser neutro em um trem em movimento"

Bruno.

Maikon K disse...

para informação: eu não escrevi o tal livro. o autor é http://howardzinnemportugues.blogspot.com/
que é um soco na cara para quem deseja ser um profissional, seja na sala de aula ou numa redação e manter uma postura política clara, definida e ética.
Maikon K

Anônimo disse...

desculpe pela falta da referência do autor !