sábado, 28 de março de 2009

O clima tenso

Na tarde de hoje um amigo de Floripa, que o pai é daqui, puxou conversar via mensageiro. O tema não era o anarquismo social, militância e nem música, a questão da vez era o JEC. O amigo torcedor do Figuera veio informar que estará torcendo pelo JEC, já que seu pai é tricolor do norte catarinense. Não falei ao amigo da ilha do clima de tensão que tá aqui.



O clima ta tenso, ao menos é que o sinto na parte da cidade que vivo. A casa da minha mãe é a parte da cidade que faço referência. A razão da tensão é que o marido da minha mãe é natural de Criciúma, um torcedor fanático do tigre do sul, onde uma derrota o leva ao mau humor extremo e o deixa sem condições até mesmo de dizer boa tarde ou boa noite.



Eu sou um tricolor pacifista, em respeito a minha mãe não faço piadas e nem caio nas provocações quando pinta uma derrota do JEC. Um exemplo do meu pacifismo é após a derrota do tricolor na última quarta-feira. Passei dois dias na casa de amigos. A minha paciência tricolor estava fora do controle, aí fiquei longe.



O dia de hoje marca a abertura do quadrangular final, como um bom tricolor desempregado vou assistir o jogo em no bar mais bar de Joinvas, enquanto o horário do jogo não chega evito o choque de tensão: no dia de hoje não fiquei no mesmo ambiente que o marido da minha mãe, mas pode deixar, ao sair de casa, ainda mais se rolar de algum amigo me buscar vou falar em tom bem alto: “JEEEEEECCCCC!!!!!”


A imagem foi retirada da capa do An de hoje. Clique aqui.

Nenhum comentário: