domingo, 19 de abril de 2009

"Boa sorte, ciclistas!"

O Jornal A notícia publicou a matéria “Boa sorte, ciclistas!”, onde traz a dificuldade de pedalar na cidade de Joinville, se clicar aqui você poderá ler, assistir a um vídeo e ver um ensaio fotográfico de Pena Filho.





A questão de pedalar na cidade, aos olhos dos “revolucionários” é uma coisa menor, sem tanta importância e até apoiada por governos da “politicagem sacana”, enquanto isso trabalhadores-as a caminho do trabalho ou de casa são vítimas do trânsito.



Pensar a política do planejamento urbano e urbanismo e a questão da bicicleta são fundamentais, buscando ampliação do exercício político de cada um-a morador-a da cidade. As propostas que surgidas na cidade não buscaram a radicalização dos debates e ações. Agora, quem vai querer ir ao debate ?



FOTO POR PENA FILHO

5 comentários:

Seneca disse...

Mensagem aos Ciclistas de Joinville
- Que a "Força" os acompanhe.
e que o Anjo da Guarda os proteja, porque vão precissar de ambos.

Wesley disse...

eu adoraria participar d um debate sobre o assunto!

vou todo dia pra univille d bicicleta e já passei por situações bastante incômodas e arriscadas. principalmente com ônibus, que são muito largos e ocupam toda a faixa.
Você que está indo com o fluxo do trânsito não vê os ônibus vindo atrás de vc, eles passam raspando no seu cotovelo e ainda buzinam.

morro de medo às vezes!

tomo muitos cuidados, sei que deveria tomar mais, tenho consciência que não sou bem educado. ms e os motoristas, tomam cuidados com os ciclistas?

vc não odeia sentir que o carro é o rei da rua e vc é um intruso, atrapalhando?

Gabriel Renner disse...

Com certeza, se o ciclismo urbano tivesse maior apoio, teria maior adesão, e só assim pra se tornar uma realidade e um assunto serio para as autoridades.

WD disse...

Não tenho coragem de andar no meu bairro ( o Profipo, o menor da cidade) de bicicleta, quanto mais atravessar ela pra trabalhar ou estudar. Tem que ter coragem e muita convicção, seja ela política e/ou financeira.

WD disse...

Não tenho coragem de andar no meu bairro ( o Profipo, o menor da cidade) de bicicleta, quanto mais atravessar ela pra trabalhar ou estudar. Tem que ter coragem e muita convicção, seja ela política e/ou financeira.