sábado, 2 de maio de 2009

Aqueles que amo

Bertolt Brecht, poeta e revolucionário, escreveu:



“Aquele que amo

Disse-me

Que precisa de mim


Por isso

Cuido de mim

Olho meu caminho

E receio ser morta

Por uma só gota de chuva.”



Ao acordar não havia uma doce alma ao meu lado para espalhar suas necessidades dos meus carinhos ou palavras, de qualquer maneira me protegi dos pequenos pingos de chuva e me coloquei a disposição para um café nas trincheiras da warkafka ou para uma de tarde encantos ao som do Renato Teixeira ou uma tarde de organização para conhecer “o jeito carioca de se voar” (Renato Teixeira).

Nenhum comentário: