terça-feira, 12 de maio de 2009

Na estrada

Quarta-feira cedinho estarei na estrada, voltando somente no mês de Junho, enquanto isso vá as ruas e lute contra assinatura do Prefeito Carlito (do PT), que aprovou o aumento da tarifa no transporte coletivo.


4 comentários:

Filipe Ferrari disse...

Carta de agradecimento a quem? Ao Carlito??? He-he-he...

Camila Rosa disse...

grande carlito!!

sergio gollnick disse...

Como se não bastassem indícios de que o preço da passagem de ônibus coletivo praticadas em Joinville sempre foi concedida sem o controle efetivo da Prefeitura e sob a desconfiança da existência de acordos de bastidores que emerge sempre quando falta transparência e exatidão nos propósitos…

Como se não bastasse que a Prefeitura não dispõe de qualquer forma de controle e fiscalização efetiva sobre o serviço e sobre o contrato de concessão do sistema público de transporte urbano, fazendo-a refém das informações prestadas unicamente pelas operadoras ferindo sua atribuição e dever legal em defesa dos interesses dos cidadãos, que são os seus patrões…

Como se não bastasse a desativação precoce de serviços sem qualquer debate e explicação plausível, sob a única ótica de redução de custos…

Como se não bastasse a mudança nos itinerários e linhas dos ônibus sem qualquer diálogo e divulgação prévia com a população, sob a única ótica de redução de custos…

Como se não bastasse que em nenhum momento as reduções de custos proporcionadas pelos corredores pela exclusão do Pega Fácil, das troncais e de alteração de horários e linhas alegadamente para economizar não fizeram parte das negociações e não constam da planilha tarifária ou de qualquer argumento técnico-político que minimize o impacto sobre a tarifa…

Como se não bastasse as penúrias da população com o caos do trânsito que transformou o sistema de transporte coletivo em Joinville num “mico”, cada vez mais desinteressante à população que depende deste serviço público…

Como se não bastassem as restrições das empresas, com a conivência da prefeitura, para a utilização do passe livre pelos estudantes que, deveria ser livre e subsidiado pelo erário numa justa forma de retribuição e priorização aos que estudam e desejam uma sociedade mais justa…

Como se não bastasse o próprio fato do controle da emissão e da utilização das gratuidades e do vale transporte estar concentrado nas mãos dos operadores sem qualquer controle da Prefeitura, especialmente sobre as conseqüências delas oriundas…

Como se não bastasse a nossa cidade, com sua características climáticas, não dispor de ônibus climatizados, que deveriam estar há muito tempo disponíveis na frota…

Como se não bastasse a nossa cidade não ter nenhum ônibus modernos, com piso baixo e adaptados a pessoas com mobilidade reduzida…

Como se não bastasse a mentirosa transparência defendida pela atual administração colocando um blog no ar (quantos usuários de ônibus tem acesso ao computador?) com um planilha indecifrável, cujos números não tem identificação de origem, sem um forma clara de interpretação, sem qualquer instrução para que os cidadãos tenham a capacidade de avaliação…

Como se não bastassem tantos outros argumentos que, infelizmente, não cabem neste espaço…

Como se não bastasse o ÓBVIO…

… o prefeito CARLITO MERS AUMENTOU A TARIFA DO TRANSPORTE COLETIVO EM JOINVILLE.

E do pior jeito possível, contrário a sua história política, a uma de suas lutas mais importantes que o fizeram chegar a ser vereador, deputado estadual, deputado federal e agora Prefeito. Sem uma justificativa descente e compreensível, sem nenhuma alternativa ou compensação, de supetão e, principalmente sem qualquer diálogo com a população, repetindo o método “esperto” usado em todos os governos anteriores assim como o fazem para aumentar o IPTU, agora neste governo o ITBI, a TLL, o ISS etc…

E agora???

O que vou dizer para os meus amigos, em especial aos meus filhos, as pessoas humildes que convivo e que acreditaram na minha capacidade de convencimento de que este governo seria, para nós joinvillenses, a grande chance de mudar, de ter a transparência que um governo popular suscita, de exercer a democracia na plenitude e, sobretudo, de ser um governo honesto.


Me abate uma incomensurável e inominável descrença e decepção, sinto-me, a bem da verdade, envergonhado.

Seneca disse...

A Carta do Ex-secretarios Trigo, nao pode ser mais clara, agora só falta entrar na justica....o caminho esta aberto.