quarta-feira, 22 de julho de 2009

"Malditos Ianques!!!"

A “esquerdalha” é fragmentada. Do discípulo do Stalin ou devoto do Trotsky passando pelo socialista ou comunista autoritário e inclusive os anarquistas. Os pontos de unidades são dispersos e quando conectados logo são rompidos.


O ponto de unidade entre toda a “esquerdalha” é discreto, ao menos pouco comentado, somente em caso explícitos daquelas campanhas datadas como “Fora imperialismo ianque!”. A ignorância total frente à História dos Estados Unidos da América, ainda mais quando se tratam das experiências históricas de relevância as pessoas ao invés do dinheiro.


Lembramos de Noan Chomsky mas não citamos Howard Zinn. Bob Dylan é a referência em música de protesto, mas nada é citado sobre Jello Biafra ou até mesmo Joan Baez. Temos em mente Ginsberg, enquanto Steinbeck, Hemingway que lutaram na Guerra Civil Espanhola são esquecidos. E os Wooblies, o Chefe Seattle e tantas outras referências, onde a minha memória somente privilegiou os mais conhecidos?


O desabafo ficou martelando agorinha mesmo, enquanto pensava na quantidade de pessoas dos EUA foram lutar contra o fascismo do Generalíssimo Franco na Guerra Civil Espanhola (1936-39), que o mês de Julho marca setenta e três do seu começo. Inclusive, momento marcante de exemplo da fragmentação da “esquerdalha”.


7 comentários:

Filipe Ferrari disse...

Depois que li Kerouac, passei a imaginar os EUA de uma maneira diferente. Era um país o qual ele amava (assim como o velho Buk), apesar de todo o sistema, de todos os podres. Amava fosse pelas paisagens, pela estrada, fosse pelo que fosse. Passei a respeitar esse EUA, o EUA de pessoas que não querem ter um Ford novo na garagem todo ano...

E quanto à esquerda, o grande problema disso tudo, é uma coisinha chamada "vaidade". Os grupos se corrompem, amizades acabam, quando começamos a ver o próximo tendo um pouco mais de destaque, de reconhecimento, e, ao invés de continuarmos trabalhando na luta, não, desestabilizamos as coisas em busca de reconhecimento para o nosso ego...

Acho que isso dá um post, haha!

:*

Anônimo disse...

cara, foda-se o keroac!
mk

Filipe Ferrari disse...

Quem te viu e quem te vê Mk, haha!

Anônimo disse...

cara, Kerouac é legal, gosto dos escritos deles. Mas to meio de saco cheio com pessoas babando ovo pra ele.

Kerouac se tornou um refúgio certeiro de estudante universitário ou daquele que deseja fazer banca de pessoa legal e descolada.

Aquela coisa, o problema não é o Ramones até 1979, mas os devotos do Ramones que até o corte de cabelo é igual, o problema não são o mod, mas a maneira de levar tudo mto a sério e fora do contexto de hoje. o problema não é o revival punk LA, mas leva tudo isso mto a sério e não discutir as coisas.

Eu sei que vc não é partidário dessas coisas, mas somente to de saco cheio,isso já se faz um tempo.

mk

Território Nenhum disse...

Esquerdalha mesmo! Gostei do neologismo... a esquerda da repúbliqueta das bananeiras há muito que aprender com os ianques.

Filipe Ferrari disse...

Eu entendi, mas também, não ia mentir pra te agradar né? Hahaha...

Tu tá ficando enjoadinho hein? ;)

Anônimo disse...

não é enjoadinho, é que percebi se responder os comentários das postagens existe a possibilidade,mesmo que remota, de gerar um debate.hehehe

mk