quinta-feira, 30 de julho de 2009

Eu e os filmes (o cinemão)

Eu não sou chegado ao cinema, já que viver aqui e gostar de cinema é uma tristeza sem tamanho. Mas nas últimas semanas estou assistindo filmes feito um aficionado, entre os curtidos com devido tempo e calma estão:



Cássio Gabus Mendes apavora nas cenas.


Batismo de Sangue; é uma dose necessária de história da política e da formação da capenga democracia representativa brasileira, onde ignoramos os valores fundamentais da vida humana. O mais impressionante é a entrega do elenco e assistindo os extras se percebe o mesmo no restante da equipe. Um detalhe da riqueza dos extras são os depoimentos dos Freis sobreviventes da chacina estatal e civil chamada de “revolução de 64”. Como comenta um dos atores “é arte dentro da arte” fazendo referência à visão teológica dos Freis dominicanos e o valor artístico do filme.



Estômago; As purezas e as ingenuidades escondem expressões violentas e até mesmas tão sangrentas quanto uma bife mal passado na frigideira. Saudades de Curitiba.



Milk; Pouco sabemos sobre a luta por direitos sexuais nos EUA e daqui. Quem sabe seja uma referência inicial. Todo mundo paga pau para Gabriel Garcia Bernal, mas Diego Luna apavora no filme Milk.



Cheiro do Ralo; O ralo da ausência paterna insistiu em feder. Comentário desconexo com o filme. A segunda vez que assisto.


Tom vestido de Aliuscha


Fabricando Tom Zé; Tom Zé veio com defeito de fabricação. Graças a deus e vai pra porra!!!



Touro indomável; Continue touro e estará sozinho na cidade.



A pele; O oscar vai para os olhos de Robert D. Jr.



A nota de um escândalo; Profissional na educação deve ficar longe de estudantes menores de idade e dos profissionais com mais de trinta anos de carreira.



"Um dia fui gatinho do cinema."


O lutador; o hard rock é a trilha perfeita para os homens tristes que viveram os anos oitenta, ou seja, o mau pai sempre toma cú. Tomara!



O curioso caso de Benjamim Button; Filmes com pais ausentes e judeus sofrendo na segunda guerra mundial deveriam ser censurados, já deu pra bola esses temas.



Linha de passe; A classe média de São Paulo não gosta de moto boy e somente gosta das pessoas da periferia quando o garoto virá estrela do seu clube de futebol ou um bom ator de cinema.



Cafundó; Está decretado que o Lazaro Ramos é o ator mais foda dos últimos anos, ainda mais quando representa um papel desconhecido do povo negro brasileiro.



Volver; É Almodóvar, já não tenho mais saco para seus filmes, mas saindo o próximo vou assistir.



To verdener; nos últimos meses algum maldito roteirista dinamarquês anda investigando a minha vida.



A lista de filmes para assistir ainda resta: O evangelho segundo São Mateus, Cartola, The Spirit, Última parada 147, João do Vale muita gente desconhece e tantos outros na fila para baixar aqui e aqui.



P.S A lista de filmes é um demonstrativo como não sou um cara amante do cinema, já que meus filmes estão “bem cinemão”.