sexta-feira, 26 de março de 2010

O iluminado, a caixa e a desconsideração

O Charles Henrique, sociólogo e comissionado na Prefeitura, em seu artigo na edição de sexta-feira do Jornal Anotícia, escreve como se fosse um iluminado na questão do transporte coletivo. Ele precisa de mais luz, vamos lá.

A Prefeitura não abre os dados das planilhas, ano passado divulgou  somente parte dos dados. Jamais os dados gerais. O poder público e os empresários não debatem o transporte com a população, menos ainda com os movimentos sociais e entidades cuja pauta é o transporte coletivo. Logo, a caixa não é tão aberta.

O presente articulista deveria observar com mais cuidado tudo o que diz a respeito ao transporte. Não é de hoje o entendimento que o ponto x da questão não é somente a tarifa paga dos bolsos dos usuários e das usuárias. Por exemplo, há tempos o Movimento Passe Livre está pontuando a necessidade de um transporte realmente público, entendendo além do aumento da tarifa. Outro fato, quando um movimento se dispõe a discutir o transporte se faz presente a necessidade de cruzamento de dados. Não é preciso um diploma universitário para chegar a conclusão.

A questão chave é que o articulista se dispõe a condição de iluminado, mas no fundo, desconsidera o contexto da cidade, ignora a existência de um dos protagonistas da questão do transporte coletivo, no caso o Movimento Passe Livre. Erra ainda mais, quando trata a população como fornecedora de dados, não a tratando como possuidora de vivência suficiente para discutir e a realizar um transporte público realmente público e de acordo com as suas necessidades. Por isso, vamos iluminar mais o jovem sociólogo do PDT e companheiro de "luta" do preconceituoso e conservador Robson da Cunha.

6 comentários:

Anônimo disse...

Por que você não escreve pra próxima edição do Jornal então, Sr. Iluminado (2)?

Anônimo disse...

hahahaha

eu não estou me colocando como iluminado, mto pelo contrário. somente estou colocando um ponto de vista diferente. não precisamos de mais iluminados, precisamos de abertura para o debate. o que a prefeitura, onde charles trabalha politicamente não realiza, um debate verdadeiro e franco.

em relação ao jornal, eu já escrevi pra lá. tenho cartas e artigos publicados. Só que os últimos não foram publicados, a minha argumentação foi um tanto agressiva. então, prefiro escrever e publicar no blog. outra coisa, na sua maneira de "ofender" trata como se escrever no jornal fosse grandes coisas. hihihi


Queriro-a anônimo, beijomeliga.

Maikon k
www.vivonacidade.blogspot.com

André Altmann disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Por que você não escreve pra próxima edição do Jornal então, Sr. Iluminado (2)?

Soraya disse...

'O crítico é uma galinha que cacareja enquanto todas as outras colocam ovos. Quem sabe, faz. Quem não sabe, critica. Há pessoas que se preocupam em construir. Outras, em achar defeito.'

Anônimo disse...

Olá senhor Anônimo e Soraya,

Acredito que existe uma certa resistência de lidar com as críticas. A crítica, qualquer uma, é destruidora, nos deixa pra baixo. porém, tem um elemento central, a nossa reconstrução, sustentado em reflexões.

Eu não preciso ficar discorrendo sobre as minhas considerações e publicações em espaços da "grande mídia" local. Nem preciso discorrer amplamente do meu envolvimento com a luta pelo transporte, onde a crítica é desenvolvida coletivamente e soluções são elaboradas, nem sempre publicadas nos jornais, afinal, existe interesses de pauta numa redação e tbm econômicas e políticas.

Caso Charles e qqr outra pessoa, não queira receber críticas, seja de quem "faz" alguma coisa ou "não faça" alguma coisa, a dica é ficar em casa, não se envolver no setor público da política ou dos movimentos sociais. Envolvimento que nos faz de teto de vidro, quando sempre pedras serão jogadas.

Somente faço um pedido, que as críticas a minha postagem acompanhem consistencias. O que impede um debate promissor e profincuo. Enquanto o recurso for "humor" ou a "ironia", por favor, seja competente, o que esta sendo escrito aqui é tudo franquinho.

abraço,
maikon k
www.vivonacidade.blogspot.com