sexta-feira, 16 de abril de 2010

Entrevista com Dani (do DCE da UNIVILLE)



 A Dani, presidenta do Diretório Central dos Estudantes da UNIVILLE, está participando da construção da luta contra o aumento e por um transporte coletivo público. A "grande mídia" local não procura documentar e nem informar sobre as ações dos movimentos sociais e entidades representativas. Por isso, mesmo sem ter diploma de jornalista nem querendo ser jornalista, mas buscando contribuir com a militância, publico uma breve entrevista com a Dani.


Quais são os gastos mensais de um estudante com o transporte coletivo?

Um estudante gasta por mês só com o transporte coletivo R$92,00 (na compra antecipada), caso ele compre a passagem dentro do ônibus "embarcada", o mesmo paga R$108,00.

Qual o papel do DCE (Diretório Central dos Estudantes da UNIVILLE) na luta contra o aumento na tarifa do zarcão?

O DCE tem o papel social e político de estar ao lado dos estudantes, reivindicando sempre as bandeiras históricas do movimento estudantil Brasileiro. Nesse sentido nossa gestão apóia irrestritamente junto a outras entidades organizadas a luta contra o aumento, que a nosso ver é ilegal, pois existe uma serie de irregularidades que partem das planilhas apresentadas pelas empresas, como também a irregularidade da concessão que permite a duas famílias oligárquicas provincianas “Bogo e Harger” a explorar toda a população Joinvilense a mais de quarenta anos.

O DCE está realizando algumas ações contra o aumento. Você poderia discorrer sobre elas?

O DCE iniciou na noite de ontem (15/04/2010) junto a outros movimentos sociais e estudantis, uma assembléia estudantil e formalizaram a leitura e a entrega de um manifesto contra o aumento abusivo da passagem de ônibus. Foi pedido o apoio de todos os departamentos da UNIVILLE, pois acreditamos que esse reajuste na passagem de ônibus impossibilitara vários acadêmicos de permanecerem na UNIVERSIDADE.

Na noite de quinta-feira ocorreu uma assembléia de estudantes com a pauta contra o aumento. O que motiva o DCE acreditar que as assembléias têm força política nessa luta?

O que faz com que o DCE chame os acadêmicos para assembléias, é que acreditamos que esta é a forma mais transparente e democrática de permitir que as pessoas tenham o direito de opinar e participar das decisões coletivas que se organizam nas ruas. Este modo de organização mostra-se eficiente pela própria praxes dos estudantes da UNIVILLE.Mostrou-se eficiente também para impedir os intentos de organizações políticas partidárias conservadoras e dogmáticas “direita e esquerda” e levar o povo a ser massa de manobra.

Na assembléia uma carta foi aprovada. No que consistia o documento? (a Dani reproduziu o documento)

O Diretório Central dos Estudantes, vem através deste documento pedir a esta Instituição de Ensino Superior um apoio formal na luta contra mais um AUMENTO abusivo do transporte coletivo na cidade de Joinville.
 Estamos aglutinando varias forças sociais em torno desta causa, pois entendemos que o transporte coletivo é essencial para efetivar a mobilidade urbana como um todo, dando acessibilidade de fluxo de pessoas e capitais, ajudando desta forma o usufruto democrático dos espaços da cidade a todos seus cidadãos.
A educação como outros vários setores, será fortemente penalizada se as tarifas dos transportes aumentarem, dificultando principalmente os estudantes que já se encontram em dificuldades de arcar com os custos da própria educação, lembrando esta Instituição de Ensino, que só no ano passado se contabilizaram 1000 acadêmicos inadimplentes, uma situação em que os gastos com o ensino se contabilizam ainda em gastos com transporte para ter acessibilidade a esta educação, um gasto que segundo o IBGE é o terceiro na renda de todos os brasileiros em custos econômicos.
            Portando fica evidente, a importância das Instituições de Ensino, sejam elas públicas ou não, apoiarem irrestritamente estas lutas sociais em prol da mobilidade urbana de toda a cidade, defendendo dentro desta mobilidade o acesso permanente dos estudantes a seus locais de estudos. Evocamos os princípios norteadores da Univille no cumprimento do seu papel junto à sociedade Joinvilense, no tocante principalmente no item cidadania e responsabilidade social. O D.C.E da Univille já cumpre perfeitamente este papel defendendo com coerência os interesses sociais dos estudantes, bem como os Centros Acadêmicos e o apoio de classe de outros movimentos sociais, organizações políticas constituídos nesta cidade como: M.P.L, MST, PRÓ-CAO, DANMA (UDESC), DACS (IELUSC) entre outros que se organizam para mobilização social na cidade e no Brasil.
O D.C.E - Univille organizado junto a outras entidades, convoca esta Instituição de Ensino a somar forças com estas organizações sociais para barrar este aumento de tarifa, que consideramos:

1- “Imoral”, pois já se vão mais de quatro décadas de exploração ilegal do transporte coletivo, onde se contabilizam varias perseguições violentas aos movimentos sociais como o MPL.

2-“Ilegítimo”, pois as planilhas de custo são totalmente produzidas pelos próprios beneficiários das empresas, estando à prefeitura em um papel de conivência política com estas empresas ao apoiar estes estudos.

3 -“Inviável”, pois esta tarifa é uma das mais altas do Brasil e onera de forma violenta o bolso e a mobilidade dos Joinvilenses.

4- E finalmente “oportuno”, pois este lucro é constituído de forma irresponsável e deixa debilitado o desenvolvimento social e econômico de todos os munícipes de Joinville.

O DCE se mantém contra o aumento da tarifa do zarcão. E na questão de transporte público e gratuito, qual é a bandeira da atual gestão do DCE?

Em questão ao transporte público e gratuito o DCE se posiciona favorável, acreditamos que é um direto de todo cidadão, de ir e vir. O governo, seja Federal, Estadual ou Municipal, tem que arcar com essa responsabilidade, pois é um direito do povo. Existem vários modelos de transporte publico e gratuito, acreditamos que se a discussão fosse ampliada com outros movimentos sociais, se a PMJ realizasse um fórum deliberativo para ouvir a necessidade da população teríamos muitas opções.

6 comentários:

Jacson Alm. disse...

Discordo. Falei com a Dani e falei sobre a manifestação.

danuxa disse...

se explica...

Gabriel disse...

Olha, sou contra o aumento, fiquei sabendo que a transtusa deve dinheiro aos bancos, e deve estar aumentando com o intuito de NÓS USUÁRIOS paguemos as dividas deles, eu estudo na escola mais importante do bairro do Boa vista ( é particular ) Não posso dizer o nome, enfim, ja estava mobilizando algo, e talvez semana que vem, todos vão saber disto ja pensei uma maneira de espalhar a noticia, não divulgo, pois pode, e deve ter, alguem da transtusa nos vigiando, mas é so. Viva a Democrasia.

Anônimo disse...

Jacson,

a "grande mídia" nao cobre o cotidiano das lutas sociais, somente aborda os fatos, o "grande fato" como uma manifestacao, mas nao traz linhas, seja uma sobre os trabalhos de base. eu entendo que
nao é o interesse da "grande mídia" dessa faceta da politica, é mais "valido" dar vozes aos politicos profissionais.

quando escrevi, nao fazia referencia a vc. ate estranhei o seu comentario. pois estou falando dos veículos de mídia, nao das pessoas que sao trabalhadores nelas.

maikon k

Anônimo disse...

Jacson,

a "grande mídia" nao cobre o cotidiano das lutas sociais, somente aborda os fatos, o "grande fato" como uma manifestacao, mas nao traz linhas, seja uma sobre os trabalhos de base. eu entendo que
nao é o interesse da "grande mídia" dessa faceta da politica, é mais "valido" dar vozes aos politicos profissionais.

quando escrevi, nao fazia referencia a vc. ate estranhei o seu comentario. pois estou falando dos veículos de mídia, nao das pessoas que sao trabalhadores nelas.

maikon k

Anônimo disse...

I am sorry, it not absolutely that is necessary for me. Who else, what can prompt?