terça-feira, 20 de abril de 2010

No fervo dos acontecimentos


Eu pensei em escrever sobre o adiamento do aumento na tarifa do zarcão. Vou esperar algumas horas, aí reproduzo a leitura dos fatos da Frente de Luta pelo Transporte Público. A Frente é o espaço que estou inserido na luta, assim como diversos-as compas.

No fervo dos acontecimentos, a opinião coletiva de diversos movimentos sociais e entidades são mais importantes, do que falas e escritos isolados e distantes da democracia das ruas.

Aliás, a Frente realizou trabalhos de base em diversas escolas públicas e privadas, envolvendo um número expressivo de estudantes do ensino fundamental e médio. Clique aqui e leia sobre os trabalhos de base. 

Em breve, volte aqui.

4 comentários:

Marcio Rocha disse...

Grande Maikon!
Parabenizei o Carlito em carta publicada no AN (edição 20/04/2010).
Claro que é uma atitude politiqueira, afinal estamos em ano eleitoral. Mas é de admirar que ele (Carlito) foi o único prefeito na história recente de Joinville que negou um pedido (qualquer pedido) dos Harger e Bogo. Vale mandar um abraço para ele. rsrsrsrsrss....

Salve!!!!

Anônimo disse...

Quais foram os acordos para negar o aumento ?

Em janeiro de 2011, o aumento será na casa dos 3 paus ?

E o projeto de licitação, estabelecendo mais uma empresa privada ?

E o discurso afinado entre Bogo e Carlito sobre o transporte coletivo colombiano?

E a ausência de debate com os movimentos sociais e entidades ?

Bem, nem vou entrar nas perguntas mais escrotas. hehehe

Então, eu tenho o que parabenizar?

Maikon K
www.vivonacidade.blogspot.com

Emanuelle disse...

Eu acredito que seja um pouco precipitado dar um valor ou até mesmo tentar prever um aumento em 2011. Não tenho razões para defender o atual governo, mas acho prudente evitar discursos inflamados.
O debate com os movimentos sociais dá a desejar mas não é nulo também. Até onde sei alguns movimentos foram chamados para debater o transporte no IPPUJ. Se a conversa não tem sido democrática ai é outra história> os movimentos sociais devem revindicar que ela o seja, mas dizer quenão houve é também cair em erro.

Até onde eu sei, e todos sabemos através de publicação na imprensa local, um processo de licitação está programado, o que se debate até agora é como esse processo se dará. Espero que a demora seja pra evitar futuros lucros as empresas que tanto exploram o transporte da cidade.

Parabenizá-lo pela coragem talvez seja exagero, mas foi um ato admirável, já que muitos de nós cidadãos joinvilenses conhecemos as possíveis retaliações desse mesmo empresariado "prejudicado".
O que não pode morrer é a luta dos movimentos depois de uma negativa de aumento.
A luta continua.

Anônimo disse...

Manu,

a PMJ comentou, inclusive na mídia, que em janeiro o aumento não terá como evitar. A possibilidade de chegar aos 3 mangos é fruto de observação, apressadamente é claro, a inflação, como está funcionando nos últimos tempos.

vc tem razão que os movimentos sociais foram ouvidos, mas como nas outras vezes, não passou de conversas numa sala fechada. Nada aconteceu com um debate público, como já foi pressionado no ano passado, inclusive com a ocupação da câmara. sentar, ouvir os movimentos e fazer cara de paissagem não é possível, isso já está sendo feito. é preciso dar um passo adiante, o que a PMJ ainda não fez. Um seminário aberto e plural, sem essas coisinhas como cnpj exigido pelo "conselho da cidade", que é mais um gabinente de empresários, cujo presidente tem histórico de "pegar leve" com abusos "laboriais" na sua própia empresa.

vc tem razão com o processo de licitação. o problema desde já é que o processo vai manter uma lógica privada no transporte coletivo. inclusive, tanto Bogo como PMJ, estão defesa do modelo de transporte de bogotá. Está publicado uma nota do ponto de vista dos-as usuários-as de Bogotá. Chegou a ler ?

Eu não tenho condições de parabenizá-lo nem dizer que é um ato admirável. eu preciso da frieza de um distanciamento temporal. No momento, tudo está mto quente. O que me permite a formular uma opinião é o que tenho em mãos, até o momento não são coisinhas suficientes para ir além do pensei, refleti e escrevi aqui.

o fato é que precisamos debater, nem que seja no espaço virtual, já a PMJ não abriu o canal plural e aberto.

Abraço,
Maikon K
www.vivonacidade.blogspot.com