domingo, 28 de fevereiro de 2010

De frente com o meu imaginário


José Mindlin foi um empresário, não foi um personagem da esquerda. Mas, desde minha infância José passou a compor o meu imaginário sobre livros e literatura.  Era José Midlin se fazer presente, eu parava e escuta. Hoje ele morreu. 



Na foto está José (de amarelo) e Thiago (de branco) numa noite de Abril de 2008.

Em 2008 estava em São Paulo visitando a Vanessa, na época minha namorada. Ela me levou na livraria Casa de Livros, onde a Juss, irmã da Vanessa, prestava serviços de criação visual. Era uma noite de abril quando dezenas de crianças homenagearam José. A homenagem foi singela com poesias de Cecília Meireles e Carlos Drumonnd de Andrade. O José  narrou sobre a dupla de poetas, ambos do seu círculo de amigos. Eu estava feliz e emocionado. Naquela noite esteve presente o poeta Thiago de Mello, autor de clássicos da poesia brasileira como “Estatuto do Homem” e “Amor Armado”. Quando caiu a ficha que Thiago de Mello era Thiago de Mello, eu fiquei completamente sem saber o que fazer, a máquina fotográfica tremia na minha mão. Thiago declamou ao amigo José. Era como se o meu imaginário de infância estivesse  de frente ao meu olhar. A poesia declamada por Thiago saiu de um manuscrito escrito por ele e o grande poeta chinelo Pablo Neruda. A noite foi de uma força poética gigantesca, que ainda hoje é difícil delinear uma narrativa, ainda mais quando um dos protagonista não se faz mais presente. 






Manu Chao e a Rádio Bemba na Comunidade Zapatista

Por volta de 2000 ou 2001 o Manu Chao e seus companheiros da Rádio Bemba foram numa comunidade zapatista, em Chiapas no México. O vídeo foi retirado do dvd do cantor. A comunidade zapatista dança e canta com Manu Chao. O EZLN é inspiração de diversas canções de Manu Chao e outros artistas. Na postagem anterior tem mais informações sobre o EZLN.




16 do EZLN


O primeiro dia do ano de 2010 marcou os 16 anos de existência do Exército Zapatista de Libertação Nacional, o EZLN. A formação do grupo ocorreu no sul na região do Chiapas, sul do México.  Nos anos oitenta militantes sociais das cidades se aproximaram da população indígena excluída e deixada na miséria no Estado do Chiapas (Aqui e aqui). As experiências levaram a criação do EZLN onde fez uma nova forma de organização política, experimentando com as realidades dos povos indígenas de Chiapas. O levante do EZNL ocorreu no 1 de janeiro de 1994, quando passou vigorar o Acordo de Livre Comércio entre os países da América do Norte. Na trajetória do EZLN diversas experiências foram realizadas, que não cabe aqui apresentar. Porém, vale salientar que as experimentações realizadas pelos indígenas de Chiapas foram importantíssima para discutir novas formas de organizações políticas.  Olhar e discutir o EZLN poderá inspirar a realidade que nos cerca e construir a esperança no cotidiano das palavras poéticas e das forças das ações e práticas transformadoras em vários campos da vida humana.