segunda-feira, 8 de março de 2010

Ato na terça-feira.

http://barraracriminalizacao.blogspot.com/

Hoje tem "O amargo..."

 


Data: 08 de março de 2010.
Local: Praça Nereu Ramos, 16:30
Entrada Franca
Em caso de chuva apresentação acontecerá no dia 10 no mesmo horário e local.

Lembrar Louise

 
Louise Michel (França, 1830-1905) foi uma revolucionária em todos os momentos da sua vida. A sua luta foi ao lado dos-as trabalhadores-as, fonte de inspiração nas lutas sindicais, ao mesmo tempo se dedicou  a causa feminista e ao anarquismo. A dedicação de Louise também transcorria nas veias da criação literária, combinando a luta social, política e arte. Durante a Comuna de Paris, quando a cidade de Paris passou a ser administrada diretamente pela população, Louise Michel executava sua ação como enfermeira ou na infantaria de canhões. A sua vida foi marcada por paixões, amores e rebeliões políticas e sociais, o que levou seus amores a morte, sua vida condicionada a uma prisão, extradição e uma expressão cansada (como na foto). Louise até sua morte não deixou de lutar contra as injustiças.Lembrar Louise, jamais esquecer Louise.




Uma nota necessária: mulheres em luta.

Ainda se faz necessário redigir linhas sobre as condições das mulheres na cidade, tema pouco discutido entre todas as pautas das lutas sociais. No dia de hoje, aproveito para lançar uma simples nota.


O GEPAF, Grupo de Estudos, Políticas e ações feministas. O grupo ainda embrionário, já elaborou atividades públicas. Vale a pena fazer contato e saber as visões do grupo e suas ações. 


Na minha lembrança está um grupo de mulheres operárias da Cipla,(2002-07) quando a empresa estava em controle da comissão de trabalhadores-as e apoiadores-as. Era um grupo pequeno organizado em torno da condição da mulher no chão de fábrica, sofrendo a exploração de classe e de gênero. 


No dia de hoje devemos mencionar o grande trabalho executado por todas as mulheres envolvidas no Centro de Direitos Humanos de Joinville. A defesa dos direitos humanos não existiria se não fosse a dedicação na luta cotidiana de muitas mulheres.


A nota consta somente três aspectos das lutas das mulheres na cidade. As histórias de lutas por emancipação são feitas de diferentes maneiras. Infelizmente muitas deixaram poucos registros, fazendo entender que foram de pouca importância, mas pelo contrário, é uma luta importante e de grande validade.